Buscar
cheap jordans|wholesale air max|wholesale jordans|wholesale jewelry

Colunas

Matérias Anteriores
Disney encontra o momento certo para lançar sua primeira princesa negra

Disney encontra o momento certo para lançar sua primeira princesa negra

Vamos a compilação de notícias sobre "A Princesa e o Sapo". A boa nova é que na dublagem brasileira, além de Rodrigo Lombardi como Príncipe Naveen, temos outras vozes conhecidas (dentro os dubladores profissionais): Kacau Gomes é a Tiana, o crocodilo Louis terá voz de Mauro Ramos (Pumba), o vagalume Ray é Márcio Simões (Gênio, Hades).

Outro bom destaque é a entrevista com os diretores Ron Clements e John Muskers, que por sinal aparecem brevemente na animação na pele dos irmãos Fenner - veja imagem ao lado -  (tradição que se repetiu em "Aladdin", "Hercules" e "Planeta do Tesouro"). Na entrevista comentam como foi o processo de apresentação do projeto e seu desenvolvimento tendo John Lasseter como novo chefe da Walt Disney Animation Studios.

E por fim, uma matéria da agência France Presse, que fala sobre a importância e o momento certo para a Disney lançar sua primeira primeira princesa negra. Confira trecho abaixo:

The Princess and the Frog", que no Brasil terá o título de "A Princesa e o Sapo", não é a primeira heroína diferente dos desenhos da Disney, mas primeira que de origem não-caucasiana que tem um "principado" de fantasia ambientado nos Estados Unidos.

Antes, a índia Pocahontas (1995) conquistada pelo colono britânico John Smith e Jasmine (de "Aladin", 1992) chegaram aos cinemas em longas do estúdio, mas a primeira foi criada em terras canadenses da tribo powhatan e a segunda é parte dos contos árabes incluídos nas "Mil e Uma Noites".

A produção deste musical com estilo da Broadway e ambientado no Bairro Francês de Nova Orleans ao som de jazz, zydeco, blues e gospel sob a batuta de Randy Newman --compositor várias vezes indicados ao Oscar, por filmes como "Carros", "Toy Story", entre outro--, começou a ser planejada antes do nome de Obama despontar como favorito para ocupar a Casa Branca.

"Quando a produção deste filme começou, as primeiras conversas, Barack Obama não estava na Casa Branca, é apenas uma casualidade feliz, uma coincidência maravilhosa que tenhamos dois 'príncipes' afroamericanos ao mesmo tempo em que o filme é lançado", afirmou em entrevista coletiva o ator Terrence Howard, que faz a voz de James, o pai da princesa Tiana.

Para o ator negro indicado ao Oscar em 2006 por "Ritmo de um Sonho", "sempre existiu nobreza em todas as culturas e raças, assim como também gênios em cada cultura e raça, e é bom ter a plataforma da Disney para divulgar isso".

O possível impacto para a comunidade negra nos Estados Unidos de ver pela primeira vez na grande tela uma princesa negra, com vestido de gala, usando coroa e beijando um príncipe também moreno, Naveen (que tem a voz do ator brasileiro Bruno Campos), "pode ser diferente, dependendo da geração do espectador", nas palavras de Anika Noni Rose, que empresta sua voz a Tiana.

"Para meu sobrinho será a norma, ele não vai pensar nada a respeito, será sua primeira princesa e ponto", explicou a atriz negra de 37 anos, uma das três protagonistas do musical "Dreamgirls" (2006).

"Mas para minha mãe será algo que ela estava esperando há tempos, enquanto que, para minha avó, será algo que ela nunca pensou que seria possível de acontecer", completa.

"A Disney é americana e simplesmente abrimos um novo capítulo na história americana, algo que esteve aqui por um tempo muito longo. É apenas um passo a mais na conclusão da história do que é a América neste mundo de fantasia."

Voltar



Este site está sob a licença Creative Commons, exceto aonde explicitamente descrito.