Buscar
cheap jordans|wholesale air max|wholesale jordans|wholesale jewelry

Colunas

Matérias Anteriores
Ligeirinho ganhará um filme

Ligeirinho ganhará um filme

Ligeirinho, o popular personagem dos desenhos animados, conhecido como o rato mais rápido do México, terá seu próprio filme e ganhará a voz de George López, informou hoje a revista "The Hollywood Reporter".

O famoso roedor, sempre caracterizado pelo seu inseparável chapéu amarelo e o clássico lenço vermelho, será levado ao cinema pela produtora New Line, que encarregou o roteiro a Alec Sokolow e Joel Cohen, que já produziram o filme de "Garfield" (2004).

O personagem, que faz parte da série Looney Tunes de Warner Bros., realizará o filme que vai misturar animação e realidade.

George López fará a produção do filme por meio de sua companhia George López Presents, em colaboração com Jerry Weintraub, produtor de "Onze Homens e um Segredo".

Ligeirinho, com seu eterno sotaque mexicano, ganhou fama graças ao curta-metragem rodado em 1955 por Friz Freleng e Hawley Pratt sobre o pequeno herói, cujo maior inimigo era um gato.

Esse trabalho, no qual Ligeirinho dizia pela primeira vez suas expressões mais famosas ("Ándale!, Ándale!, Arriba!, Arriba!"), ganhou o Oscar de melhor curta-metragem encorajado e inclusive Pat Boone escreveu uma canção sobre o ratinho em 1962.

Ao longo dos anos, Ligeirinho apareceu em filmes como "Uma Cilada Para Roger Rabbit" (1988), "Space Jam - O Jogo do Século" (1996) e "Looney Tunes: De Volta a Ação" (2003).

Em algumas ocasiões, o personagem esteve acompanhado de polêmica já que há quem o considere a representação de um estereótipo ofensivo dos mexicanos, além de ser um mau exemplo para as crianças porque seus amigos fumam e bebem.

Também é critica a possível alusão à sociedade americana na figura do gato, a quem Ligeirinho chama "estúpido gato gringo". Na série, Ligeirinho, mais astuto e inteligente, sempre vence os combates com o felino.

Essas razões levaram o canal Cartoon Network a retirar a série da TV em 2002.

Para evitar que isto ocorra novamente, a New Line planeja atualizar os personagens e dar um toque moderno, marca da casa de George López.

"Queremos afirmar que não será o Ligeirinho dos anos 50, o Ligeirinho racista", disse Anne López, sócia de George na produtora. (EFE)

"Uma Família da Pesada" irrita política Sarah Palin

A animação tem um novo provocador no pedaço. Com "Uma Família da Pesada", Seth MacFarlane, 36, quer tomar o lugar de "Os Simpsons" na longevidade e nas polêmicas.

A política Sarah Palin foi a sua vítima mais recente. No episódio exibido nos EUA no dia 14, o seriado colocou uma garota com síndrome de Down na escola de Chris, o filho mais abobalhado da família Griffin.

"Ela não é especial?", pergunta o jovem, apaixonado por ela e "seus olhos arredondados". Saem para jantar e ela se revela abusivamente mandona. Sem mencionar nomes, fala sobre sua vida: o pai é contador; a mãe, ex-governadora do Alasca. "Bem legal", responde Chris.

Já Palin não achou tão divertido. Ela deixou o cargo no Alasca no ano passado e também tem um filho com síndrome de Down, Trig, de quase dois anos. No site Facebook, descreveu sua decepção: "Foi um chute no estômago".

Andrea Fay Friedman, 39, que também tem síndrome de Down e dubla a personagem no episódio, saiu em defesa do seriado. "Acho que Sarah Palin não tem senso de humor. Achei a piada boa. Na minha família, achamos que rir é bom. Meus pais me criaram para ter senso de humor e viver normalmente", disse ao "New York Times". (leia mais na Folha de S. Paulo)

Voltar



Este site está sob a licença Creative Commons, exceto aonde explicitamente descrito.