Buscar
cheap jordans|wholesale air max|wholesale jordans|wholesale jewelry

Colunas

Matérias Anteriores
Animação belga ruim ganha espaço nos cinemas brasileiros

Animação belga ruim ganha espaço nos cinemas brasileiros

No último domingo o jornal Folha de S. Paulo publicou uma critica devastadora sobre uma animação em exibição nos cinemas brasileiros, que vale a pena ser reproduzida aqui:

Por que num país com pouquíssimas salas de cinema, como o Brasil, um filme ruim, antigo (passou na Mostra SP do ano passado) e com toda a pinta de "direto para DVD", como este "Branca de Neve - Depois do Casamento", consegue ocupar espaço?

Melhor seria, na falta de bons filmes inéditos, reprisar a "Branca de Neve" original, que essa animação belga pretende parodiar (esse é o lado ruim de um sucesso como o bom "Shrek": ele lança fórmulas).
A animação de Jean-Paul Walravens, conhecido como Picha, é pobre em termos técnicos, se comparada ao padrão que o grande público se acostumou a ver (Pixar, Dreamworks, Aardman etc.). Mas, até aí, tudo bem: um bom roteiro poderia contornar esse problema.

Só que o roteiro, também de Picha (em parceria com Tony Hendra), é uma lástima. O que ele tem de mais interessante -e daí já se vê o tamanho do problema- é seu título em português, que sugere uma bem humorada comédia de costumes focada em crises de casal, algo que poderia, de fato, funcionar (o insípido título original, traduzido, seria "Branca de Neve - A Seqüência").

Mas não é disso que trata o desenho: não temos uma princesa revelando-se subitamente megera ou um príncipe encantado beberrão; eles têm basicamente os mesmos perfis de outrora (só que vistos com ironia), mas agora são recém-casados e vêem sua vida ficar confusa quando a Fada Madrinha passa a querer conquistar o príncipe.

Os Sete Anões, Chapeuzinho Vermelho, Bambi, um ogro e uma nova princesa vão se misturando à trama sem despertar qualquer emoção no espectador. O nível das piadas é constrangedor -e o pior é que nem se trata de filme infantil, pois há razoáveis quantidades de sexo e de violência.
Com tantos desenhos mais interessantes -como o preferido do público do Anima Mundi SP desse ano, "Princess"- ficando longe das telas, é lamentável que esta bomba estréie.

"Garoto Cósmico" chega em DVD

O amigo Léo Francisco do site Cinema com Rapadura me chamou atenção para o lançamento da simpática animação nacional "Garoto Cósmico" em DVD.

Acaba de ser lançado no mercado de home vídeo o longa-metragem de animação "Garoto Cósmico", dirigido pelo brasileiro estreante, Alê Abreu (dos curtas "Sírius" e "Espantalho").

No longa você irá conhecer Cósmico, Luna e Maninho, três crianças que, por acidente, saem do planeta em que habitam onde a vida é totalmente programada. A partir daí, descobrem um mundo divertido e cheio de possibilidades habitado pelo carismático Giramundos (Raul Cortez) e seu circo.

Apresentando uma proposta educativa para as crianças, o longa chega as lojas em um DVD com extras como trailer de cinema, making of com cenas dos bastidores da produção, além de clipes das canções compostas por Gustavo Kurlat e interpretadas por artistas como Arnaldo Antunes, Vanessa da Mata (que participa também da dublagem dando voz à personagem circense Bailarina), Wellington Nogueira e Raul Cortez, que canta e dubla em seu último trabalho para o cinema.

Voltar



Este site está sob a licença Creative Commons, exceto aonde explicitamente descrito.