Buscar
cheap jordans|wholesale air max|wholesale jordans|wholesale jewelry

Colunas

Matérias Anteriores
Museu do Louvre exibe quadrinhos pela primeira vez

Museu do Louvre exibe quadrinhos pela primeira vez

Essa eu preciso destacar por aqui. Os franceses estão realmente surpreendendo. Primeiro foi a Mostra sobre Disney e a influência européia no Grand Palais. Agora é o Museu do Louvre abrindo espaço pela primeira vez para os quadrinhos na exposição "Cartoons - The Louvre invites comic-strip ar", aberta desde o último dia 22. Leia mais sobre a exposição:

Entre as obras, estarão "Période Glaciaire" (período glacial), de Nicolas de Crécy; " Les Sous-sols du Révolu" (o porão da Revolução), de Marc-Antoine Mathieu; "Aux Heures Impaires" (as horas ímpares), de Éric Liberge; "Rohan au Louvre" (Rohan no Louvre), de Hirohiko Araki e "Le Ciel au-dessus du Louvre" (o céu acima do Louvre), de Bernar Yslaire.

Em todos eles, a história se passa no próprio museu. A aventura criada por Yslaire, por exemplo, acontece em 1793, quando um pintor recebe a ordem de criar um retrato do revolucionário Maximilien de Robespierre no museu, então recém-inaugurado. Os desenhos de Yslaire, somente em preto e branco ou sépia, mas com alguns traços em vermelho, "lembram aos leitores que há vida, sangue, tristeza e amor" em meio clima sombrio da Revolução Francesa, diz o quadrinista.

Por meio de recursos digitais, o público ainda pode interagir com a obra, recriando seus traços com um lápis eletrônico.

Qualidade Estética

O curador Fabrice Douar disse que a iniciativa não é de "modernizar" o Louvre, de "validar" os quadrinhos como forma de arte e nem de conquistar o público jovem para o museu. "Nós queremos apresentar essa arte com o objetivo de mostrar sua qualidade estética, mas também sua qualidade no sentido de confrontação entre o mundo do Louvre e esse universo alternativo, que é o dos quadrinhos", afirma Douar.

Ele diz ainda que cada quadrinho foi escolhido para refletir a diversidade da arte. "Quadrinhos não apenas algo alegre... há também quadrinhos contemporâneos, que falam mais sobre a criação, há graphic novels, histórias de detetives e mangá", diz o curador. A expectativa é quebrar estereótipos não apenas sobre os quadrinhos, mas também sobre o famoso museu. "Assim como quadrinhos não apenas para diversão ou entretenimento, o Louvre não é apenas empoeirado e chato", completa Douar.

(Com informações da Folha Online e Associate Press)

Voltar



Este site está sob a licença Creative Commons, exceto aonde explicitamente descrito.